quinta-feira, 15 de agosto de 2013

O Renascimento do Parto - O Filme TRAILER OFICIAL - Nos cinemas!!!

     



O filme "O Renascimento do Parto" retrata a grave realidade obstétrica mundial e sobretudo brasileira, que se caracteriza por um número alarmante de cesarianas ou de partos com intervenções traumáticas e desnecessárias, em contraponto com o que é sabido e recomendado hoje pela ciência. Tal situação apresenta sérias conseqüências perinatais, psicológicas, sociais, antropológicas e financeiras. Através dos relatos de alguns dos maiores especialistas na área e das mais recentes descobertas científicas, questiona-se o modelo obstétrico atual, promove-se uma reflexão acerca do novo paradigma do século XXI e sobre o futuro de uma civilização nascida sem os chamados "hormônios do amor", liberados apenas em condições específicas de trabalho de parto. 

Com a participação especial do cientista francês Michel Odent, da antropóloga norte-americana Robbie Davis-Floyd, da parteira mexicana Naoli Vinaver, do ator e diretor de cinema Márcio Garcia e sua esposa, a nutricionista Andréa Santa Rosa.

quarta-feira, 26 de junho de 2013




"Criança é sinônimo de pureza
É algo que ainda não foi maculado
Inocente, simples, sincero, verdadeiro e casto.
Quando ocorre o parto e nasce a criança,
Frágil, carente de amparo,
Quando a mãe percebe que o seu bebê
Chegou de suas entranhas
É como se ela partilhasse a pureza daquela criança
Como o vidro que fica impregnado com o aroma que ali existia
Para cuidar de alguém tão puro quanto o bebê
É preciso se purificar também
Intimamente ela se promete,
Propõem reformas pessoais,
Se renova, se compromete,
Mas com o que? O que ela percebe com o nascimento do bebê, 
Algo sagrado, que é o seu filho. E ela se alegra muito, se enche de graça.
Se as pessoas presentes no momento do parto guardam o devido respeito e
Não maculam o momento
Também se enchem de graça
E todos saem felizes,
Percebem verdadeiramente a renovação
Não só da vida biológica, mas também do propósito do bem, da harmonia,
Talvez por isso o parto exerça uma forte atração magnética
É difícil passar indiferente a ele,
É como ouvir um apelo:
Veja a renovação da vida e se renove também
Se prometa, se comprometa com a vida."





video

segunda-feira, 20 de maio de 2013

Parto Normal ou Cesárea??

Segundo a Organização Mundial da Saúde e o Ministério da Saúde o parto normal é mais aconselhado e seguro do que o parto cirúrgico, a cesariana. Oferece menos riscos de infecção, hemorragias , prematuridade para os bebê e ainda favorece a preparação do corpo e da mente da mulher no processo do nascimento. Vários hormônios são produzidos em maior quantidade e auxiliam na diminuição da dor no momento do parto (endorfinas), na na produção do leite materno e na vinculação afetiva que a mãe estabelece com a sua criança (ocitocina). Além disso, a recuperação é melhor e mais rápida após o nascimento, comparada com a cesariana.

É importante, para que a mulher possa desfrutar desses benefícios, que ela tenha a sua disposição os recursos que favoreçam este processo: respeito a sua individualidade, técnicas de alívio para a dor não farmacológicas (como a utilização da água do chuveiro ou da banheira), incentivo a posições verticais para o nascimento entre outras.

A cesariana, indicada de forma correta, salva muitas vidas e é uma grande conquista nos dias de hoje. Ela traz a comodidade da “hora marcada” mas apresenta muitos riscos para as mães e seus bebês, como o aumento na incidência da mortalidade materna e infantil. Apesar da recomendação da OMS de taxas de cesarianas menores de 15%, este procedimento é muito realizado em gestantes de baixo risco no Brasil, com indicativos que chegam a 90% em algumas maternidades particulares. Para muitas mulheres a procura pela cesariana se dá pelo medo da dor e isso acontece por vezes, pela falta de informação e opção que lhes traga segurança e satisfação.

E como se sentir segura e animada já que as maternidades exibem taxas tão altas de partos cirúrgicos? 

Um bom começo é partir para a informação segura através da leitura de textos em livros e sites de referência (segue abaixo uma lista de livros indicados). É importante também encontrar um obstetra que respeite as suas escolhas e que te transmita segurança. A participação em grupos de apoio traz a oportunidade da informação aliada à troca de experiências com outras mulheres - os relatos fortalecem as escolhas! 


 “Puxei minha filha com as minhas próprias mãos quando ela estava saindo. Após ter pego minha filha nos braços não tenho como definir ao certo meus sentimentos. É uma mistura de poder por ter dado a luz a um filho, e satisfação por ter tido força para conquistar a minha meta. A lição mais importante que eu aprendi foi que não existe consciência sem informação. Nós mulheres só podemos proporcionar um parto para cada filho, vale a pena dar o que temos de melhor!” Relato da Lorena (mãe da Júlia, do Artur e da Laura). 


Além desses caminhos, o trabalho pessoal realizado através da reflexão ou da ajuda de um profissional (psicólogo) permite que a mulher tenha recursos para que essas escolhas façam sentido, para que conheça melhor o seu corpo e seus limites e para que o seu “ideal de parto” esteja aberto à experiência que vier no momento do nascimento. Assim a mulher também nasce, se empondera, fica ativa no momento que é dela!


 Dicas de Livros: 

  •  A Cesariana - Michel Odent 
  • A Doula no Parto - O papel da acompanhante de parto – Fadynha Gravidez, 
  • Parto, Pós-parto e Cuidados com o Recém-nascido – OMS 
  •  Lobas e Grávidas: Guia Prático De Preparação Para O Parto Da Mulher Selvagem, Lívia Penna Firme 
  • Nascer Sorrindo - Frederick Leboyer Parto Ativo - 
  • Guia prático para o parto natural - Janet Balaskas 
  • Parto com Amor - Em casa, com parteira, na água, no hospital: Histórias de nove mulheres que vivenciaram o parto humanizado / Luciana Benatti e Marcelo Min
  • Parto Normal ou Cesárea? O que toda mulher deve saber (e homem também) - Simone G. Diniz e Ana C. Duarte  
  • O Renascimento do Parto - Michel Odent 


 • Texto de: Cristina Trevisol e Silva - Psicóloga e Doula

quinta-feira, 25 de abril de 2013

Cuidando de bebês e crianças para um futuro melhor - Integração Craniossacral ®




Todos os pais deveriam estar bem conscientes que a concepção, gestação e nascimento de uma criança são eventos milagrosos e misteriosos. 
Quando olhamos para os olhos de um recém-nascido somos tocados pelo maravilhoso milagre da vida que se expressa claramente, seja qual for a sua condição. O trabalho com bebês é uma oportunidade única de resolver vários problemas que podem ficar registrados desde muito cedo e podem afetar todo o seu desenvolvimento e potencial no futuro. Existem muitas modalidades de terapias alternativas naturais que podem diminuir e eliminar a necessidade de medicamentos, cirurgias e tratamentos radicais em diversos casos. 
A Terapia Craniossacral é uma terapia manual usada para o restabelecimento da saúde em todas as idades, em condições agudas e crônicas, em gestantes e pós parto. É um tratamento extremamente seguro e não invasivo, muito eficaz e adequado para bebês e crianças. Usando toques suaves, o terapeuta craniossacral vai estimular a capacidade inerente de auto cura do corpo e devolver o movimento da chamada Respiração Primária, o ritmo craniossacral, para os locais afetados, trazendo a potência terapêutica do Sopro da Vida existente no fluido cerebrospinal. 

                                   

Estes conceitos originais foram elaborados pelo Dr. Sutherland, osteopata americano que criou a Osteopatia Craniossacral e vêm sendo desenvolvidos por diversos médicos e osteopatas atuais. As diferentes abordagens de Terapia Craniossacral têm em comum o profundo respeito pelos mecanismos naturais de cura e a consideração do corpo como um todo, reconhecendo a matriz de Saúde que mantém o funcionamento dos sistemas em equilíbrio constante, desde a concepção até a morte. 
Parto e nascimento 
No corpo, podem existir áreas de restrições, compressões ou tensões que estão impedindo o funcionamento correto dos órgãos, músculos, nervos, vasos sanguíneos e tecidos em geral. Estas restrições podem ser resultantes de infecções, inflamações, acidentes, tensões emocionais e patologias, ou ainda, causadas pelas compressões e pressões que acontecem no processo do parto durante a passagem do bebê pelo cérvix e canal de nascimento. Durante o processo do nascimento, a cabeça do bebê precisa se amoldar para poder atravessar a pélvis da mãe. Os ossos cranianos se sobrepõem uns aos outros para se acomodarem e após o nascimento, esta situação é corrigida naturalmente. 
Quando a correção não acontece, esta situação de sobreposição ou mal posicionamento ósseo pode interferir com o funcionamento adequado de nervos cranianos, originando sintomas como cólicas, problemas na respiração, deglutição, digestão, sensoriais e motores. Os partos difíceis como fórceps, cesariana, parto prolongado e à vácuo podem provocar danos emocionais e fisicos, especialmente na região do crânio do bebê.  A cesariana é um procedimento que pode salvar vidas, mas também pode causar um choque no bebê pela mudança de pressão repentina no momento da incisão, e uma tendência maior a desenvolver problemas durante a infância. Os efeitos de um trauma de nascimento podem originar várias complicações e sintomas físicos, emocionais e psicológicos, afetando o recém-nascido e toda a dinâmica familiar. Mesmo problemas comuns como dificuldades digestivas e respiratórias, cólicas e infecções de ouvido, podem persistir e desenvolver outros distúrbios. 
A terapia craniossacral deveria ser feita o mais cedo possível, porque o crânio e a estrutura corporal estão constantemente crescendo, fusionando e consolidando padrões que ficam registrados neles, causando dores e disfunções até na idade adulta. Bebês saudáveis, crianças felizes Em algumas maternidades da Inglaterra e Estados Unidos, as parteiras e enfermeiras aplicam a Terapia Craniossacral nos recém-nascidos, sob a supervisão dos obstetras. Os bebês podem ser tratados no colo das mães, sem serem perturbados se estiverem dormindo e sem a necessidade de tirarem as roupas e fraldas. 
O tratamento restabelece o equilíbrio no sistema craniossacral, restaurando a saúde e o funcionamento apropriado das partes afetadas, de maneira suave e prazerosa, acalmando e confortando. Seria ideal que todos os bebês recebessem um tratamento de craniossacral de terapeutas devidamente qualificados, para minimizar ou eliminar as repercussões das dificuldades de nascimento e auxiliar na construção da sua saúde; já as crianças deveriam receber tratamentos periódicos durante seu desenvolvimento para facilitar o processo do crescimento. Certamente, ajudando os bebês e crianças a resolverem padrões de estresse, desconforto e desequilíbrios o mais cedo possível, estamos criando um futuro melhor onde estes seres especiais vão poder desenvolver seu potencial completo, contribuindo para uma geração mais amorosa, feliz e saudável. (Texto de Aziza Noguchi, cirurgiã dentista, professora de Integração Craniossacral).
  • Em Curitiba, a psicóloga Cristina Barakha realiza este trabalho com gestantes, bebês e adultos em geral. Para maiores informações sobre este trabalho e agendamento de consultas: cristinabarakha@gmail.com / 41 96611887

quinta-feira, 4 de abril de 2013

Reportagem sobre Parto Natural



Parte 1 


Parte 2


                                                                             
                                                                                 Parte 3